,


COMUNHÃO



OH! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. (Salmos, 133. 1)

Na tarde de ontem, domingo (04/06/2017), estivemos numa chácara que fica aproximadamente 20 quilômetros de Gurupi, realizando um Culto ao Senhor! O trabalho faz parte das ações do GEP-PEDROSO ( Grupo de Evangelismo Pessoal da Congregação do Setor Pedroso).

Foi um momento muito especial de comunhão e crescimento pessoal com Deus para todos nós que ali estávamos! Fomos recebidos com carinho; uma atenção ímpar! Viver momentos assim é como entrar na máquina do tempo e ir ver os irmãos da Igreja primitiva nas suas reuniões familiares que, mesmo com todas as adversidades, tinham tempo para adoração e compartilhamento do amor do Senhor: "E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração," (Atos, 2: 46).

Aproveitando esse clima extremamente agradável que ainda estamos, quero deixar para você, internauta, leitor amigo, irmão, uma breve reflexão. Antes, porém, obrigado pela sua honrosa visita a nossa página!

O que é comunhão! Da leitura do Novo Testamento, com enfoque no tema em apreço, e, obviamente, com uma olhar curioso no significado teológico da Palavra comunhão, em resumo podemos defini-la como vista no livro de Atos dos Apóstolos (At. 2. 42) e ainda na Carta de Paulo aos coríntios ( 2 Co. 6. 14), que significa dividir a amizade; a permanência no convívio de outras pessoas em que o apreço é construído a partir do conhecimento cristão mútuo. É o partilhar do amor de Deus uns com os outros numa atmosfera de compreensão; de vida espiritual dinâmica, capaz de superar todas as dificuldades para um convívio harmônico e produtivo para todos. É o amor de Cristo subjugando os interesses egoísticos e promovendo a paz em todos os sentidos.

Comunhão! É um valor que, curiosamente, está quase em desuso na convivência cristã. Precisamos reavê-lo com urgência! Crescemos em muitos aspectos da vida humana, graças a Deus: melhoramos nosso conhecimento teológico, científico, filosófico; aprendemos a utilizar as mais variadas tecnologias, sobretudo nas comunicações. Mas paramos na adolescência do relacionamento cristão genuinamente bíblico. Não desenvolvemos o bastante a ponto de sermos uma comunidade de crentes capaz de deixar prevalecer o amor, a compreensão... Deixamos o egoísmo e a individualidade empoderar a ponto de não nos compreendermos mais. O resultado disso são os constantes conflitos intra muros intermináveis e, muitas vezes com prejuízos incalculáveis.

Uma vida em comunhão com Deus e com os irmãos é sempre proveitosa e isso é uma orientação da Palavra de Deus! Veja o que nos ensina o grande Rei Salomão, que fiz questão de transcrever do texto da Tradução na Linguagem de hoje: !É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se! E, se dois dormirem juntos, vão manter-se aquecidos. Como, porém, manter-se aquecido sozinho? Um homem sozinho pode ser vencido, mas dois conseguem defender-se. Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade. (Eclesiastes, 4:9-12). Aleluia! Então, porque não retomar a vida em comunidade cristã sadia, inteligente? Falta tempo? Misericórdia! Não deixemos que nada interfira na nossa vida espiritual e nas amizades construídas no partilhar do amor de Deus! É bom vivermos unidos isso produz alegria e aperfeiçoamento cristão. Salomão ainda diz que “assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro”. (Provérbios, 27:17).

Concluo orando ao Senhor para que Deus nos ajude a ter uma vida espiritual nos moldes do convívio social dos cristãos do primeiro século, ou seja, "louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar." (Atos, 2 : 47). Que o Senhor nos ajude nesta caminhada cristã!

Deus abençoe a você e a sua família! Que as mais ricas bênçãos do Senhor se multipliquem no seu lar. E lembre-se: é possível viver em paz e harmonia, tudo depende do exercício de um atributo que temos temos: a vontade, o querer!