,


TOLERÂNCIA!



E, respondendo João, disse: Mestre, vimos um que em teu nome expulsava os demônios, e lho proibimos, porque não te segue conosco. E Jesus lhes disse: Não o proibais, porque quem não é contra nós é por nós. (Lucas, 9 49, 50)

 

A paz do Senhor! Tudo bem contigo? Tudo bem com a sua família? Agradeço imensamente a sua visita ao nosso singelo espaço virtual! Quero aqui, em poucas palavras, deixar registrado nosso carinho especial por você internauta amigo, irmão que nos honra com a sua presença. Obrigado! A seguir dedico uma singela mensagem de reflexão:

Como você já é conhecedor, vivemos em um mundo célere... Tudo acontece rapidamente. As informações andam como na “velocidade da luz” dando a sensação que os dias são menores. Para não ficarem para trás muitos se precipitam numa ética teleológica nociva, brutificada, onde o que importa é “vencer”, ter “sucesso”, ser “o melhor”, enfim se destacar com o ícone naquilo que se propõe ser! É obvio que tudo que intencionamos realizar, sobretudo nas atividades que resultem em benefícios para todos, deve ser levado a efeito com dedicação; com esmero, tendo o cuidado com a qualidade (excelência). Isso é bom, é sensato. Contudo, a fraqueza humana tem sido destaque em todos os meios, pois o que se verifica nas diversas áreas da vida são competições loucas, desvairadas, férteis para a propagação do mal. Isso mesmo! Na política, nos negócios, na família, na religião e até mesmo no mundo acadêmico, onde a serenidade e a ponderação são fatores indispensáveis na produção do conhecimento. Meus irmãos isso é intolerância! Não agrada ao Senhor! É perigoso, teratológico e mata!

No texto bíblico em epigrafe, vemos o discípulo do Mestre amado – Jesus Cristo, provocando-O a tomar uma decisão proibitiva quanto ao comportamento de certo pregador, que audaciosamente falava sobre Jesus, anunciava a sua presença entre os homens e, certamente, as suas obras milagrosas e como expressava o amor de Deus! Como não bastasse o descuidoso discípulo pergunta se o Mestre concordaria em silenciar o anônimo pregador! A resposta foi não! “E Jesus lhes disse: Não o proibais, porque quem não é contra nós é por nós”. Aleluia! Que lição! Deus seja louvado!

Meu amado irmão e minha querida irmã, precisamos aprender mais com Jesus. Principalmente no tocante a convivência fraterna entre nós, cristãos, e com aqueles que não confessam a nossa fé!

É tempo de deixar de lado a competição antilógica, a arrogância e esse espírito malévolo de querer ser o melhor de todos. Chega de trabalhar para deprimir e desqualificar ao semelhante em detrimento de um sucesso que efemeramente poderá existir!

Jesus Cristo é o nosso paradigma. Ele é o modelo que devemos seguir. Sua postura religiosa transcende as frígidas teologias produzidas nas recamaras do desamor.

Na minha parca experiência pastoral, lidando com pessoas, aprendi que todo julgamento a priori é sempre perigoso, ainda que tenhamos a habilidade ímpar de traduzir os sinais trajos do corpo, através da fala e expressões. É preciso ir mais adiante para se emitir um parecer: visitar, orar com a pessoa, procurar saber suas dificuldades e buscar ajuda-la! Compreender as razões da dor ou apatia... Entender até mesmo os porquês da ira ou nojo explicitamente demonstrados!

Se tolerar é um fardo, busque ao Senhor que Ele ajudará a leva-lo: "Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas." (Mateus, 11: 29)

Mesmo ante essa vida louca proposta pela modernidade, que atinge todos os setores da vida humana, é possível viver de maneira sóbria, honesta. Se obedecermos aos ensinos de Jesus teremos paz, seremos capazes de tolerar, de compreender uns aos outros.

Essa capacidade de tolerar produz bons frutos ao Reino de Deus. O apóstolo Paulo nos deixa um grande exemplo quando diz: "Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns." (I Coríntios, 9 : 22). Ainda sobre a vida cristã em unidade, ele nos diz: “Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; Um só SENHOR, uma só fé, um só batismo; Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós. Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo.(Efésios, 4. 1-7).

Que o Senhor nos abençoe. Que tenhamos uma vida sossegada, tranquila, harmônica e capaz de tolerarmos uns aos outros.